Uma recente iniciativa do Governo do Federal, instrui a distribuição de cestas básicas a famílias de alunos matriculados na rede municipal de ensino como maneira de reaproveitamento de recursos que vêm aos municípios desde o início do calendário-ano 2020, por meio de kits adquiridos com umapré-licitação, como declarou a secretária de Educação do município, Marilândia Borges, “Nós só tínhamos comprado umas duas semanas de merenda antes de a paralisação começar, então estamos aproveitando os materiais que foram adquiridos por meio de licitação para a merenda para montar os kits”.

Houve uma reunião com a presidente do conselho de alimentação escolar, a nutricionista, o prefeito do municípios e diretores da rede municipal onde foi definido como os kits seriam montados, seguindo sempre as orientações do PENAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) sobre quais itens são necessários e, portanto, deviam ser licitados. Fazendo, assim, a aquisição do mesmo produto que foi licitado para merenda no mercado onde havia sido feito a licitação. Segundo a própria secretaria de educação, a escolha pela distribuição dos kits de cestas básicas em junho foi estratégica, tendo em vista que com o tempo a situação vai se agravando e as necessidades são maiores.

“Sabemos que várias crianças, muitas vezes, vêm a escola, por causa da merenda mesmo. E, que essa é uma das alimentações mais, assim, fortes que eles tem no dia, por isso a importância desses kits de merenda serem distribuídos para as famílias”, ressaltou Marilândia. Arroz, feijão, óleo, fubá, extrato de tomate, leite, bolacha, açúcar, são alguns dos itens presentes nas cestas. Carnes e demais itens molhados não estão sendo adquiridos nem distribuídos pela dificuldade de manuseando e armazenamento, no entanto, os produtos adquiridos até agora totalizam cerca de 350 quilos de alimentos.

O critério para aquisição dos kits é o Bolsa Família (crianças inscritas no programa tem direito ao kit), ainda assim professores e diretores terão um olharespecial voltado para dentro da escola, afim de encontrar possíveis crianças que de repente não estão inseridas no programa Bolsa Família e que tem necessidade, para que, assim, tantos as escolas como a secretaria de educação possam tomar as devidas medidas. Já as crianças criadas pelos avós e/ ou que não tenham acesso ao cartão do Bolsa Família, por ele estar em poder da mãe ou do pai que não residem no município, basta procurarem a escola ou a secretaria de educação, que através do documento do avô ou responsável, emitirá o NISS da criança e o utilizará para fazera entrega também.

Alunos da zona rural também tem livre acesso a aquisição dos kits, desde que estejam devidamente cadastrados no Bolsa Família, inclusive, segundo a secretaria de educação os alunos foram comunicados e devem estar procurando a secretaria para adquirir os mesmos, em um primeiro momento para aquisição no município, mas caso haja necessidade, os mesmo poderá ser entregue em mãos na zona rural.

Segundo a secretaria de educação a organização está sendo feita através de senhas e filas e não está tendo tumultuo que é o que mais se deve evitar no dado momento. Já a previsão para a continuação ou encerramento do projeto ainda está em aberto, “Queremosvoltar a trabalhar, mas isso depende da maneira que for estendendo essa pandemia. Então estaremos programando outra entrega, não temos uma determinação a seguir.A nossa vontade é o retorno e as crianças na escola, fazendo a merenda na escola, mas se tiver necessidade, nós vamos fazer mais distribuições de cestas”, afirmou a secretaria.

Por: Alex Felipe Fotografia: Alex Felipe

Prefeitura Municipal de Arenápolis

Rua Presidente Costa e Silva, 259-E, esquina com a Rua Castelo Branco, Vila Nova
Arenápolis - MT

(65) 3343-1105

Copyright ©2020 - Todos os direitos reservados - (65) 3343-1050